0 Sexualidade e o tempo

Olá pessoas do mundo, hoje eu farei uma coisa diferente. Meu professor de história tá organizando uma espécie de jornal na escola, temos que trazer reportagens que liguem o passado a atualidade de uma forma bacana e criativa, então essa é a minha reportagem. Mas porque esse assunto? Não sei, perguntem ao João RN. Mas depois que comecei a estudar vi o quão amplo o assunto é e como é interessante a influência das culturas e gerações. Espero que vocês gostem e espero ganhar muitos pontos kkk

  Sexualidade e o tempo
O termo sexualidade surgiu no século XIX e não está ligada somente a órgãos sexuais, mas sim a cultura, a educação, a religião, a personalidade e circunstâncias humanas.
Porém a sexualidade sempre esteve presente na história da humanidade, Adão e Eva tiveram a missão de povoar a terra segundo a tradição cristã, e com o passar dos séculos o sexo teve mais funções além da procriação.

Na fase Arcaica da Grécia Antiga, os homens já tinham suas esposas, amantes e até jovens acompanhantes durante as guerras, relações ligadas a amizade, lealdade e fidelidade. Os romanos tinham orgias como algo cotidiano transfigurando as leis e costumes gregos.

Em diversas partes do mundo era costume andar nu ou seminu, o sexo era instintivo. As alojações eram imundas e a visão de higiene da época pode causar nojo aos dias atuais, as mulheres não podiam se lavar antes do ato sexual pois o cheiro da pele era algo erótico.

A partir do século XVI a Igreja Católica impôs costumes a população, agora se andava vestido, e muito bem vestido por sinal, ao ponto de qualquer pele do pescoço ou tornozelo causar impulsos sexuais. O corpo era pecado, a sexualidade deveria ser controlada ensinava a Igreja.

O sexo seria um fruto do casamento, esse que agora era usado com diversas funções, a princípio unir famílias ou reinos. Com o propósito de repassar a herança aos descendentes, a mulher passou a ser vista quando filha como um meio de união de riquezas após o casamento, com os dotes ou acordos, e quando esposa seria um objeto de exposição e genitora.

No século XVIII surgiu o movimento artístico, filosófico e político conhecido como romantismo, algo que mudou as relações interpessoais. Como o casamento ainda era feito por acordos dos pais, os filho não tinham a chance de escolher, nessa fase era rotina acontecer paixões impossíveis, um grande exemplo foi a obra de Williams Shakespeare – Romeu e Julieta – que retratou o romance de dois jovens cujo as famílias eram inimigas mas viveram seu amor e  tiveram um fim trágico, algo muito comum a época.
Com o passar dos tempos o sexo ganhou diversas variações e razões. O modelo de família começou a ser alterado pelo movimento feminista (teve início durante a Revolução Francesa, mas ganhou força com seu reinício no século XIX) que lutava pelos direito das mulheres ao voto, instrução e a obter os mesmos direitos e gratificações que o homem. Durante a Revolução Industrial e principalmente pela Segunda Guerra Mundial, a mulher começou a ocupar áreas antes intituladas como masculinas. E em 1960 quando a pílula anticoncepcional chegou ao mercado uma nova fase começou. O sexo que era visto principalmente como forma de procriação para a mulher, agora elas tinham a opção de usufruir disto apenas para o prazer, tomando o rumo da vida e do próprio corpo.

Hoje temos o sexo como algo tão comum que às vezes coisas simples passam despercebidas, a cinquenta anos atrás era totalmente inapropriado cometer o ato sexual antes do casamento por exemplo, já atualmente essa situação é aceitável.

A homossexualidade (homo: do grego “igual”) como a própria sexualidade sempre existiu em todas as espécies, o amor entre iguais era tão comum que nem o próprio termo existia, o que só veio a ocorrer em 1869. A cerca de 10 mil anos atrás as tribos das ilhas de Nova Guiné, Fiji e Salomão, no oceano Pacífico já exercitavam algumas formas de homossexualidade em rituais sagrados, e assim continuou a acontecer em todo o planeta até o cristianismo, quando a Igreja impôs o modelo de família que seria composto por um homem, uma mulher e filhos.

Após muitas lutas e algumas vitórias dos grupos LGBTS alguns países começaram a permitir o casamento homossexual e essa discussão está bem presente. Famílias conservadoras começam a ampliar seus horizontes e a sociedade a aceitar, estudar e lutar contra o preconceito que é gerado. É claro que há muito a se fazer, mas o primeiro passo foi dado e caminhamos a um futuro onde o amor seja mais importante que suas formas de manifestações.

0 Desculpas

Olá queridos, estou sem fazer posts aqui há algum tempo e o motivo é: tô sem tempo.
Fim de ano se aproxima e meu tempo só se encurta, trabalhos da escola, curso, igreja, saídas, meu tempo de descanso e tudo mais. E pra piorar (ou melhorar) voltei a treinar violão *--* meus dedos estão quase sangrando aqui mas vou continuar. Ah, esperem que vem novidades por aí. Boa tarde meus queridos.

Página Anterior Próxima Página Home
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Copyright © 2011 Blue Jeans! Elaborado por Marta Allegretti
Usando Scripts de Mundo Blogger