1 Vamos falar de TFIOS

Oi gente bonita, olha eu de novo kkk Eu não sei se vocês sabem mas eu tenho o costume de publicar aqui algumas resenhas que faço nas aulas (porque coincidentemente todos os meus professores amam redações e filmes e redações sobre filmes hehe) e a de hoje é sobre A Culpa é das Estrelas. *-*
Só pra deixar claro eu NÃO vou falar nem do livro e nem do filme aqui, li e assisti e amei, mas agora não é sobre isso. Minha atividade era pra falar de uma cena isolada com os aspectos físicos e psicológicos e a que eu escolhi foi a do casal protagonista (Hazel e Gus) no grupo de apoio. Então... Vamos lá.

A Culpa é das Estrelas é um filme que eu já amava antes mesmo de assistir e umas das cenas que mais me tocou foi o primeiro encontro de Hazel e Gus. Esse encontro não foi num cinema, parque ou restaurante, e sim num grupo de apoio a crianças com câncer, algo bem incomum mas que os uniu como não poderia ter sido diferente. 

Enquanto eles escutam pessoas se queixarem ou ignorarem os problemas, eles simplesmente se observam. Gus com um olhar sensual, mas não sensual demais, só o bastante para ele mesmo acreditar que o que ele sentiria não seria comparado a nada já visto ou sentido. Hazel simplesmente sorria pensando "Porque não vim mais bem vestida?" Mas o destino não escolhe dia nem lugar, ele apenas acontece.

Quando perguntam a Gus sobre seus medos ele responde que o maior medo é ser esquecido. 
Então Hazel olha descrente para ele tentando imaginar como alguém tão instigante poderia ser tão previsível, e diz: 

"Vai chegar um dia que todos vamos estar mortos, houve um tempo antes dos humanos e vai haver outro depois e pode ser amanhã ou daqui a um bilhão de anos e aí não sobrar ninguém pra se lembrar de Cleópatra ou Aristóteles ou Mozart quanto mais de você. Ser esquecido é inevitável."

Não sei bem se foi aí que o amor começou, mas tem grandes chances de ser, afinal ser confrontado com pessoas que tem a capacidade de desestabilizar até o mais profundo das suas certezas não é comum, mas é assim que tem que ser.





















Essa foi umas das minhas cenas favoritas, e quais foram as suas? Preferiu o livro ou filme? 

0 Tv Vingancinha

Oi pessoas, quanto tempo né (pra ser mais precisa desde 10 de janeiro) sentiram minha falta? Não né, eu sei kkkk E porque parei de escrever? Preguiça, sim. Ah Vanessa e porquê passar 6 meses sem escrever e voltar hoje? Porque eu preciso compartilhar com vocês a dor e o desespero e a decepção do fim de temporada de uma série que se gosta.
É queridos, estou falando de Revenge. 
Desde que comecei a assistir essa série pensei em fazer posts pra cá porém sempre me desmotivei por motivos de preguiça, (eu tenho até as fotos salvas dos posts) mas agora eu NECESSITO falar sobre isso. 
Bom, acabei de ver o último episódio da terceira temporada e tô meio revoltada com os acontecimentos, pra vocês entenderem vou fazer um pequeno resumo de tudo. 

Amanda Clark chega na comunidade de Hamptons utilizando o nome de Emily Thorne , seu objetivo é vingar-se da família Grayson, Conrad e Victória, que são os responsáveis pela ruína de seu pai há 20 anos atrás (colocaram em David Clark a culpa por um golpe de terrorismo que resultou na morte de centenas de pessoas e lucrou milhões para uma organização secreta a qual os Graysons faziam parte). Para isso ela conta com a ajuda de Nolan Ross, um bilionário gênio da tecnologia que era amigo de seu pai, que se tornará melhor amigo e protetor.
Para realizar seu plano Amanda/Emily entra no fechado grupo das poderosas famílias e socialities de plantão, compra sua antiga casa ao lado da mansão Grayson e se aproxima de Daniel, o primogênito da família. 
Fatos e mais fatos acontecem o que vai obrigar Emily a prolongar sua estadia e capturar, condenar e punir todos que se envolveram no caso, e sua lista só vai crescendo. Aliados e inimigos vão aumentando ao longo da trama dando mais realidade aos fatos... até que chega a hoje. 

O fim da terceira temporada, e agora pensando não faz sentido falar muita coisa pois a maioria não ia entender kkk portanto vou me controlar. Farei a sequencia certa da série e me reservarei a pequenos comentários agora, tipo: 






Fiquem com os trailers das temporadas anteriores que a Globo apresentou (primeira série decente da Globo) 
Promo da Primeira Temporada 

Promo da Segunda Temporada (Me desculpem pela péssima qualidade, foi o melhor que achei) 

Promo da Terceira Temporada 

Obrigada Globo por me apresentar haha, semana que vem faço os posts decentes e de volta a alegria de escrever *-* 
Ah, vocês que acompanham a série, me digam o que acharam do final e as expectativas para a quarta temporada :) 


0 Humana

Oi gente bonita, como passaram a virada do ano? Tava com saudades (mas a preguiça reina kkk) fiz até outro post de desculpas mas sumiu e eu fiquei com preguiça de digitar outra vez.
Bom, vim aqui pra falar: Saiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiuuuuuuu. Saiu o novo clipe da Christina Perri e tá PERFEITO.
Quando ouvi a música fiquei paralisada e emocionada com a letra como vocês já sabem (Músicas da Depressão) mas vendo o clipe, minha nossa como pode ser tão bom?!
Não consigo descrever com palavras a emoção que a música e a performance da Christina passam, então é melhor ver. 
Vou deixar o link aqui: Human - CP 
Tirem suas próprias conclusões e deixem a opinião de vocês aqui.
E já que eu resolvi vir aqui vamos conversar sobre minha vida...
Passei as festas natalinas e de réveillon muito bem obrigada, não postei foto porque ou estava ocupada, atrasada ou sem vontade. Dia 3 minha irmã, cunhado e sobrinha linda (meu floquinho de Mel *--*) vieram pra minha casa passar um tempo conosco, e todo tempo que eu tenho fico babando minha sobrinha, porque ela é fofa demais. No mesmo dia meus dois primos vieram, ai ficou aquela clima familiar de casa cheia, ou seja, perdi meu computador. Ah, meu cunhado trouxe vários filmes que renderão ótimas resenhas pra gente. Tem: O Preço do Amanhã, Os Estagiários, O Ataque, Meu Passado Me Condena... 
Sobre o Enem, tirei 555,46 e eu sei, é vergonhoso. Mas como não estudei muito aceito numa boa, me inscrevi pra nutrição e meteorologia, ia entrar em meteorologia só pra ser garota do tempo kkkkk mas acho que esse ano eu vou dormir em vez de fazer faculdade. 
Então é isso, o ano começou e eu estou de volta a ativa. Beijos :) 

0 Sexualidade e o tempo

Olá pessoas do mundo, hoje eu farei uma coisa diferente. Meu professor de história tá organizando uma espécie de jornal na escola, temos que trazer reportagens que liguem o passado a atualidade de uma forma bacana e criativa, então essa é a minha reportagem. Mas porque esse assunto? Não sei, perguntem ao João RN. Mas depois que comecei a estudar vi o quão amplo o assunto é e como é interessante a influência das culturas e gerações. Espero que vocês gostem e espero ganhar muitos pontos kkk

  Sexualidade e o tempo
O termo sexualidade surgiu no século XIX e não está ligada somente a órgãos sexuais, mas sim a cultura, a educação, a religião, a personalidade e circunstâncias humanas.
Porém a sexualidade sempre esteve presente na história da humanidade, Adão e Eva tiveram a missão de povoar a terra segundo a tradição cristã, e com o passar dos séculos o sexo teve mais funções além da procriação.

Na fase Arcaica da Grécia Antiga, os homens já tinham suas esposas, amantes e até jovens acompanhantes durante as guerras, relações ligadas a amizade, lealdade e fidelidade. Os romanos tinham orgias como algo cotidiano transfigurando as leis e costumes gregos.

Em diversas partes do mundo era costume andar nu ou seminu, o sexo era instintivo. As alojações eram imundas e a visão de higiene da época pode causar nojo aos dias atuais, as mulheres não podiam se lavar antes do ato sexual pois o cheiro da pele era algo erótico.

A partir do século XVI a Igreja Católica impôs costumes a população, agora se andava vestido, e muito bem vestido por sinal, ao ponto de qualquer pele do pescoço ou tornozelo causar impulsos sexuais. O corpo era pecado, a sexualidade deveria ser controlada ensinava a Igreja.

O sexo seria um fruto do casamento, esse que agora era usado com diversas funções, a princípio unir famílias ou reinos. Com o propósito de repassar a herança aos descendentes, a mulher passou a ser vista quando filha como um meio de união de riquezas após o casamento, com os dotes ou acordos, e quando esposa seria um objeto de exposição e genitora.

No século XVIII surgiu o movimento artístico, filosófico e político conhecido como romantismo, algo que mudou as relações interpessoais. Como o casamento ainda era feito por acordos dos pais, os filho não tinham a chance de escolher, nessa fase era rotina acontecer paixões impossíveis, um grande exemplo foi a obra de Williams Shakespeare – Romeu e Julieta – que retratou o romance de dois jovens cujo as famílias eram inimigas mas viveram seu amor e  tiveram um fim trágico, algo muito comum a época.
Com o passar dos tempos o sexo ganhou diversas variações e razões. O modelo de família começou a ser alterado pelo movimento feminista (teve início durante a Revolução Francesa, mas ganhou força com seu reinício no século XIX) que lutava pelos direito das mulheres ao voto, instrução e a obter os mesmos direitos e gratificações que o homem. Durante a Revolução Industrial e principalmente pela Segunda Guerra Mundial, a mulher começou a ocupar áreas antes intituladas como masculinas. E em 1960 quando a pílula anticoncepcional chegou ao mercado uma nova fase começou. O sexo que era visto principalmente como forma de procriação para a mulher, agora elas tinham a opção de usufruir disto apenas para o prazer, tomando o rumo da vida e do próprio corpo.

Hoje temos o sexo como algo tão comum que às vezes coisas simples passam despercebidas, a cinquenta anos atrás era totalmente inapropriado cometer o ato sexual antes do casamento por exemplo, já atualmente essa situação é aceitável.

A homossexualidade (homo: do grego “igual”) como a própria sexualidade sempre existiu em todas as espécies, o amor entre iguais era tão comum que nem o próprio termo existia, o que só veio a ocorrer em 1869. A cerca de 10 mil anos atrás as tribos das ilhas de Nova Guiné, Fiji e Salomão, no oceano Pacífico já exercitavam algumas formas de homossexualidade em rituais sagrados, e assim continuou a acontecer em todo o planeta até o cristianismo, quando a Igreja impôs o modelo de família que seria composto por um homem, uma mulher e filhos.

Após muitas lutas e algumas vitórias dos grupos LGBTS alguns países começaram a permitir o casamento homossexual e essa discussão está bem presente. Famílias conservadoras começam a ampliar seus horizontes e a sociedade a aceitar, estudar e lutar contra o preconceito que é gerado. É claro que há muito a se fazer, mas o primeiro passo foi dado e caminhamos a um futuro onde o amor seja mais importante que suas formas de manifestações.

0 Desculpas

Olá queridos, estou sem fazer posts aqui há algum tempo e o motivo é: tô sem tempo.
Fim de ano se aproxima e meu tempo só se encurta, trabalhos da escola, curso, igreja, saídas, meu tempo de descanso e tudo mais. E pra piorar (ou melhorar) voltei a treinar violão *--* meus dedos estão quase sangrando aqui mas vou continuar. Ah, esperem que vem novidades por aí. Boa tarde meus queridos.

0 Gabriel ♥

Oi gente, segunda passada meu príncipe veio ao mundo, Lucas Gabriel. Ele é filho da minha prima/irmã e como minha sobrinha Melissa está bem longe de mim, ele ganhou toda melação e amor que eu tenho pra dar. Ah gente, ele é tão lindo *---* agora já tá com 1 semana e cada dia mais gostoso (tô começando a ficar mais besta que o normal)

Ignorem minha cara de retardada, please. Lindo né?! Meu anjinho ♥

0 Cine - Reféns

Oi gente bonita, acreditam que as vezes a Globo passa filmes inéditos e bons? Foi assim que vi Reféns. Considero Nicolas Cage um dos melhores atores de todos, sempre surpreende com seus papeis inovadores e bem diferentes em si. E um filme que traga um lado totalmente desconhecido do Nicolas, mostrando um pai ausente e um marido desligado, desperta uma vontade imensa prestigiar a obra. 
Bom, Kyle (Nicolas Cage) é casado com Sarah (Nicole Kidman) e vivem numa mansão com a filha Avery (Liana Liberato). Aparentemente eles estão bem, mas quando a casa é invadida por um trio de bandidos e uma mulher visivelmente perturbada, os problemas conjugais e familiares começam a surgir. 
Kyle é um marido omisso, frio e distante, Sarah está um pouco amargurada e não consegue lidar com a situação, já Avery não suporta os pais. Agora eles precisam se proteger e trabalhar juntos para que a família saia salva e intacta do sequestro, algo bem difícil já que alguns segredos cruéis são revelados e o rumo da situação só tende a piorar. 



Com a preocupação do cotidiano e o trabalho muitos homens tendem a deixar o casamento e a família de lado, é normal, mas com isso eles deixam espaço para que outros homens tentem ocupar o seu lugar. E é isso que o filme Reféns passa nas entrelinhas.

Avery como qualquer adolescente quer seu espaço, tirar suas próprias conclusões, porém fica bem difícil quando sua família não passa de uma produção falida.
Sarah está vulnerável e um charmoso jovem se aproxima, mal sabe ela que ele juntamente com o irmão e um comparsa, ele pretende invadir sua casa e roubar diamantes do seu esposo. 
O desespero não é exclusivo da família, os próprios sequestradores não sabem qual vai ser o final, tudo saiu do controle.
Seria correto Kyle colocar a vida de sua família em risco só para não entregar os diamantes? 

Tudo se intensifica num ciclo de traição onde todos estão perdidos e a enterrados sob a mentira.

O que mais surpreende no filme é que tudo se passa em menos de 24 horas e com a atuação impecável dos atores, em especial Nicole, o filme não fica entediante. A cada momento novos fatos surgem, detalhes intrigantes que nos fazem pensar. 

Cam Gigandet, que interpreta Jonah - o problemático limpador de piscina que tem distúrbios mentais e fantasia um romance com Sarah, ah.. arma todo o sequestro - se mostra tão real nas suas bipolaridades que cria um conflito interno sobre o que realmente teria acontecido entre ele e a bela Sarah.
Voltando a Nicole, gente como uma mulher consegue chegar a idade de Nicole e ser tão linda? A quarentona deixa a maioria das mulheres de 20 ba-ban-do. 
Espero que gostem do filme e boa noite :)
Próxima Página Home
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Copyright © 2011 Blue Jeans! Elaborado por Marta Allegretti
Usando Scripts de Mundo Blogger